Natal sem luz – Parte IV

Por: “Jennyfer Costa

Leia o capítulo anterior: “Natal sem luz – Parte III: Terra do Sol

Ansiosa por apresentar-se àqueles que pareciam temer sua presença e a de seu povo, Aurora, que momentos antes teria tentado revelar suas intenções a Enzo, esperava a porta de sua nave abrir-se por completo, para finalmente contar a verdade aos que ainda estavam conscientes de suas ações e da situação ao redor. Enzo, que perdera toda a família acreditando que a culpa fora de Aurora, mal sabia que naquele momento ela queria o tirar dali, infelizmente o menino não compreendeu e correu para a rua, encontrando posteriormente seus amigos.

Victor, percebendo a reação do amigo ao olhar a nave hexagonal, questionou se ele reconhecia a figura daquela mulher, que se distinguia dos outros que a acompanhava. Ao receber uma resposta afirmativa, ele fitou Sebastiam, enquanto Jhonatan apenas tremia de medo imaginando que sua hora chegara. Parados no meio da rua que agora iluminava-se pelas luzes de objetos, que os meninos sequer sabiam descrever, o que parecia ser o piloto da nave pediu para que os terráqueos ficassem tranquilos, pois iriam aterrissar e precisavam de sua atenção pelos próximos minutos.

O pavor que ocupava o coração das crianças e fazia suas pernas tremerem, impedia qualquer possibilidade de fuga, eles não tinham escolha senão obedecer. Enzo, pela forma com a qual Aurora o encarava, começou a perguntar-se o motivo daquele comportamento e a analisar o que se passara em sua casa anteriormente, “essa mulher ou seja lá o que for não queria me matar”, ele concluiu. Vendo que o garoto parecia curioso, Aurora ao sair da nave e caminhar em direção ao grupo, lançou-lhe um sorriso, em seguida, começou a pedir calma pois assim como eles ela era humana, ou melhor, metade humana, e queria apenas ajudar-lhes. Sebastiam, o mais tagarela do grupo, disparou repetidamente a pergunta de como aquilo era possível. Aurora que não poderia prolongar-se olhou para Enzo e pediu para que ele prestasse atenção, pois ele era como Aurora, logo, seria a peça chave do desfecho de todo aquele apagão.

O menino sem nada entender, argumentou que ela estava louca e que jamais poderia ser metade alien pois conhecia sua origem e não tinha os mesmos traços de Aurora, esta afirmou que era questão de tempo, e que Enzo ainda não sabia porque seus pais não tiveram tempo de explicar sua adoção. Confuso pela quantidade de informações e pela maneira como elas estavam sendo repassadas, o garoto disse que preferia não compreender, queria focar no retorno da luz e da vida dos que ele e seus amigos perderam. Aurora, ao reconhecer o bom coração daquela criança, disse que eles precisavam encontrar o responsável pelo desgaste de recursos do planeta deles. Jhonatan indagou como eles fariam aquilo se não sabiam de quem ela falava e que eram apenas crianças. Aurora, depositando sua confiança, deu-lhes uma informação crucial e disse que se encontrassem o homem que discursava em suas televisões mais cedo, eles conseguiriam chegar aos culpados.

Com pressa, já que sua permanência na Terra do Sol estava com o tempo contado, Aurora olhou para Enzo dizendo que voltaria quando ele estivesse pronto e pediu para que ele tivesse paciência, e quando estivesse frustrado, por não saber muito de sua própria vida, olhasse para o céu na data em que quase todos os humanos paravam para agradecer. Aurora, olhou para seus companheiros e entrou na nave, deixando as crianças com a missão de chegar ao responsável pelo governo, mas não deu detalhes sobre como os meninos cumpririam tal tarefa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s